Aulas da rede estadual do Paraná foram retomadas nesta quarta com mais escolas abertas

As universidades estaduais de Maringá (UEM), Londrina (UEL), Ponta Grossa (UEPG) e do Oeste do Paraná (Unioeste) estão entre as 100 melhores da América Latina, segundo o “Latin America University Rankings 2021” da revista inglesa Times Higher Education (THE). Os dados refletem o ano de 2019 e foram divulgados nesta terça-feira (13), em evento sediado na Universidade de São Paulo (USP) e transmitido remotamente.

A revista, fundada em 2004, é responsável por ranquear a lista das melhores universidades do mundo. O ranking avaliou 177 universidades de 13 países da América Latina. Os critérios adotados são os mesmos aplicados no ranking mundial da THE. São considerados indicadores de desempenho em cinco áreas: ensino, pesquisa, citações, perspectiva internacional e renda da indústria – que avalia a transferência de conhecimento entre a iniciativa pública e privada.

Para o coordenador de Ciência e Tecnologia da Superintendência Geral da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná, Marcos Pelegrina, é possível notar uma evolução no desempenho das universidades na classificação ao longo dos anos.

“Nossas instituições de ensino conquistam a cada ano melhores posições nas avaliações internacionais. Isso é reflexo do empenho e dedicação dos professores, agentes universitários e alunos somados aos investimentos estratégicos realizados pelo Governo do Estado. A cada ano as universidades estaduais avançam rumo à excelência no ensino, pesquisa e nas atividades extensão”, afirma.

AVALIAÇÃO

A UEM saltou 33 colocações e agora alcança a posição 48º do ranking. A universidade evoluiu nas avaliações de ensino e pesquisa, internacionalização e recursos externos.

Nos critérios de análise, a UEM apresenta melhora significativa em ensino e em pesquisa, além de ligeira ascendência em internacionalização e em captação de recursos externos. “Ensino apresentou a melhor avaliação, a nota passou de 52,9 para 69,1. Pesquisa apresentou o maior aumento, pulou de 34,4 para 64,3”, destaca Bruno Montanari Razza, chefe da Divisão de Planos e Informações da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional da UEM.

O professor explica que esse ranking usa os mesmos dados enviados para o THE Wur, ranking mundial de universidades, mas são reanalisados e utilizada uma metodologia diferente para a classificação.

A UEL também ganhou três posições e agora está entre as 47 melhores universidades da América Latina. É, também, a 28ª entre as instituições de ensino superior brasileiras. A instituição manteve o bom desempenho nos quesitos de ensino, pesquisa e renda da indústria.

De acordo com a diretora de Avaliação e Informação Institucional da Pró-reitoria de Planejamento da UEL, professora Elisa Emi Tanaka Carloto, o item melhor avaliado este ano foi renda da indústria, com nota superior a 84.

Segundo a professora, o resultado representa o esforço da instituição no trabalho de transferência do conhecimento, desenvolvimento de novas patentes, geração de royalties e demais aspectos ligados à cadeia produtiva nas mais diversas áreas. Neste quesito a UEL pulou de 35,3 no ano passado para 84,2 na mais recente pesquisa.

“Foi um aumento de mais de 100%, que reflete a política de inovação da UEL considerando o ensino, a pós-graduação e o relacionamento que mantemos com o setor produtivo, uma mudança de mentalidade que começa a aparecer e a gerar novos frutos”, avaliou a diretora.

A Unioeste também subiu colocações na classificação, comparada à classificação de 2020. A universidade foi da faixa 100-125 para a posição 74º. A UEPG se manteve entre as 90 melhores, ocupando a 86ª posição.

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrições do Enem terminam nesta quarta-feira

Os estudantes que ingressarem no Ensino Médio na modalidade EJA (Educação para Jovens e Adultos) poderão, a partir do próximo semestre, concluí-lo em um ano e meio (três semestres). A mudança acontece devido à nova carga horária de 24 horas/aula semanais, com cerca de 5 horas diárias, de segunda a sexta feira – anteriormente, os estudantes cumpriam 18 horas/aula semanais, divididas em três dias com 5 horas de aulas e um dia com 3 horas.

Com a mudança, as disciplinas de Matemática e Língua Portuguesa serão concluídas em um semestre, em vez dos dois semestres necessários até então. A distribuição das aulas na semana ficará a cargo da escola. No entanto, será necessário respeitar a Matriz Curricular aprovada para o nível de ensino e a carga horária distribuída por semestre de cada disciplina.

As matrículas para novos estudantes EJA, tanto para o Ensino Médio quanto para o Ensino Fundamental II, estão abertas a partir desta quarta-feira (23). As aulas terão início em 21 de julho. É preciso entrar em contato com as instituições de ensino da rede estadual que oferecem EJA para realizar a matrícula. Confira em www.educacao.pr.gov.br/EJA os colégios de cada cidade e a documentação necessária para efetuar a matrícula, que precisa ser confirmada por SMS.

Os estudantes que ingressarem, a partir do próximo semestre, no Ensino Médio na modalidade EJA (Educação para Jovens e Adultos) poderão concluí-lo em um ano e meio (três semestres). – Foto: SEED

Os estudantes que já cursam o Ensino Médio EJA darão continuidade, no próximo semestre, à matriz curricular em que ingressaram, de 18 horas/aula semanais. O prazo para conclusão do Ensino Fundamental permanece o mesmo, de até dois anos. Em caso de dúvidas, é possível telefonar para o setor de EJA da Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná: (41) 3340-5894 ou (41) 3340-1591.

EJA 

O Ensino Fundamental (do 6º ao 9º ano) pode ser cursado por qualquer pessoa com 15 anos completos, já o Ensino Médio pode ser cursado por qualquer pessoa com 18 anos completos.

Source link

Inscrições para o Prouni começam hoje

As oportunidades visam reforçar o time para garantir o abastecimento na região; processo seletivo está em andamento e será feito online

O Grupo HEINEKEN, segunda maior cervejaria do país, está recrutando profissionais nas áreas de Vendas, Comercial, Logística e Distribuição, para agregar ao time que hoje já conta com mais de 13 mil colaboradores em todo o país. As atribuições, assim como os requisitos e as etapas do processo seletivo, variam de acordo com a posição de interesse: vendedores, promotores de venda, supervisores de operação logística, ajudantes de entregas, motoristas, entre outros. Os candidatos interessados poderão se inscrever por tempo indefinido, até que todas as vagas sejam preenchidas.

O Grupo HEINEKEN é responsável pela produção de cervejas nacionalmente conhecidas, como Heineken, Amstel, Eisenbahn, Devassa, Schin e Baden Baden, além de também contar com um portfólio de bebidas não alcoólicas, como os refrigerantes Itubaína e FYs. “Estamos em busca de novos talentos que estejam dispostos a contribuir ativamente para o nosso negócio. Hoje, o Brasil é uma das principais operações da nossa companhia globalmente e, por isso, estamos otimistas com o futuro e prontos para continuar construindo essa história de sucesso com dedicação, respeito e foco nas pessoas”, comenta Raquel Zagui, Vice-Presidente de Recursos Humanos do Grupo HEINEKEN.

Quem apoia o processo de recrutamento e seleção é a Randstad Sourceright, divisão da Randstad, empresa global de soluções de RH. Os candidatos interessados podem se inscrever diretamente no site de Carreiras da companhia www.heineken.randstad.com.br/.

Após passarem por todas as etapas de seleção, os aprovados terão início imediato e contarão com benefícios como salário compatível com o mercado, vale-refeição ou restaurante no local (a depender da localidade), vale-transporte ou estacionamento (a depender da localidade), plano de saúde, seguro de vida e descontos em produtos do Grupo HEINEKEN.

VALORES

Para fazer parte do time da cervejaria é fundamental que o candidato esteja alinhado aos valores da companhia: respeito, protagonismo, qualidade, paixão diversão. Compromissada com a diversidade e inclusão, a companhia anunciou em março deste ano a meta de ter 50% de mulheres na liderança nos próximos cinco anos. A empresa conta ainda com um Comitê de Inclusão & Diversidade e grupos de afinidade que apoiam o desenvolvimento e oferecem suporte aos diversos talentos da empresa, além de trabalharem ações de combate ao preconceito e conscientização, com foco em raça, LGBTQIA+, gerações e pessoas com deficiência, além de equidade de gênero.

SERVIÇO
Vagas abertas – Grupo HEINEKEN
Link para inscrição: http://heineken.randstad.com.br/
Áreas: Vendas, Comercial, Logística, Distribuição
Cidades com vagas disponíveis:  Lapa (PR), Cascavel (PR), Maringá (PR), Cambé (PR), Londrina (PR), Curitiba (PR)

Source link