Beto Preto afirma que vacinação no Paraná começa no fim de janeiro

A vacinação contra a Covid-19 no Paraná deve iniciar entre 20 e 31 de janeiro, segundo afirmação do secretário estadual da Saúde, Beto Preto. Esse prazo lhe foi garantido pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. As primeiras doses serão aplicadas nos cerca de 90 mil profissionais que trabalham na linha de frente do atendimento a pacientes com coronavírus. No total, segundo Preto, o estado tem 272 mil profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a doença e que devem receber as doses do imunizante. As informações são do blog Fabio Campana.

O secretário afirmou ainda que o trabalho de vacinação no Paraná já está todo definido, com a distribuição das doses, assim que chegarem ao Estado, nas 1.080 salas de vacinação distribuídas pelo Paraná equipadas com refrigeradores necessários para conservar e transportar as doses. O Paraná, diz ele, tem 8,9 milhões de seringas e agulhas para iniciar a vacinação.

O secretário também afirmou que vai, a princípio, aplicar as vacinas que estiverem no Plano Nacional de Imunizações (PNI) do governo federal. “O Ministério da Saúde vai nos trazer as vacinas. Pode ser da CoronaVac, pode ser da Pfizer, da Moderna, da Sputnik V. Nós estamos preparados para vacinar. Qual vai ser a marca? Não vamos verificar isso. Tem que ter o selo de qualidade da Anvisa”, disse Beto Pret0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Hospital Universitário, 82% dos leitos de UTI estão ocupados

O informe da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) emitido na noite de sábado (9) indica que dos 114 leitos da Ala Covid do Hospital Universitário (HU), 94 estavam com pacientes. Desses, 69 foram positivados para a doença, 5 negativados e 20 aguardam os resultados dos exames.

Na Ala Covid, existem 46 Unidades de Terapia Intensiva (UTI), 37 estão com pacientes. Na Enfermaria são 64 leitos, 54 estão ocupadas. Dos quatro leitos emergenciais, três estão com pacientes. Nem todos os hospitalizados são de Ponta Grossa. O HU é a unidade de referência regional da doença e recebe pacientes SUS de várias cidades. As informações são do Walter Téle Menechino – dcmais.

Na pandemia, feminicídio cresce no Paraná e 32 mulheres são mortas em 2020

Tatiana, Ana Paula e Evelaine. Cada um desses nomes representa um universo de mulheres com histórias de violência, medo e insegurança. Em comum, se tornaram vítimas de covardes em 2020 e entraram no triste número de casos de feminicídio no Paraná. Aliás, dados da Secretaria de Segurança Pública do Paraná (SESP) apontam que de janeiro até setembro do ano passado, 32 mulheres foram assassinadas. Para piorar o quadro, especialistas alertam que o número vai crescer após a pandemia do novo coronavírus.

Leia mais em Tribuna Paraná.