Universidades estaduais do Paraná se destacam em avaliação do Ministério da Educação

Estudantes estão se mobilizando por meio das redes sociais para cobrar do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) uma revisão das notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Parte dos candidatos que realizaram as provas reclamam que as notas, divulgadas na segunda-feira (29) estariam erradas.

A mobilização dos alunos ocorre pelas redes sociais, como o Twitter onde a hashtag #revisaodaredacao reuniu relatos de estudantes enfrentando o suposto problema. Os estudantes pedem um posicionamento do Inep, que coordena o exame, sobre o assunto

Hedra Marques Santos, 18 anos, passou um longo período preparando-se para o Enem. A estudante, que almeja cursar Medicina, tem um currículo invejável. Ela estudou no Objetivo Integrado, conseguiu uma bolsa de 100% no cursinho Poliedro e, no exame anterior, já havia alcançado uma nota expressiva em sua redação. “Eu tirei 920 pontos na redação no ano anterior. Aconteceu que a nota caiu para 800 neste ano. Achei muito estranho. Uma nota dessa me tira qualquer chance de entrar na universidade”, disse Hedra.

Com a divulgação das notas, no último dia 29, Hedra notou que outros estudantes tiveram a mesma desconfiança. Ela começou a receber por WhatsApp, de conhecidos, relatos de outras reclamações parecidas com a sua. Além disso, viu que as redes sociais foram inundadas de depoimentos de estudantes indignados com o resultado.

“Não acredito em um erro na correção. Provavelmente foi um erro no sistema, na hora de disponibilizar essas notas. O histórico do Inep (órgão do MEC que coordena o exame) é de problemas do tipo. Espero que isso seja corrigido logo. Isso é muito sério, a gente estuda anos para chegar na hora (da nota) e ser prejudicado”, completou Hedra.

Ela e outros estudantes procuraram um advogado para uma ação conjunta e coordenada. “Estamos preparando um pacote de medidas jurídicas. Queremos ter acesso ao espelho das provas para que os alunos possam ter certeza de suas notas. Agora, o grande problema é que o edital estabelece que o espelho será divulgado depois do Sisu (Sistema de Seleção Unificada). O que significa que as vagas já estariam perdidas”, explicou Márcio Danilo Doná, advogado dos estudantes.

Segundo Doná, o próximo passo é pedir um ‘habeas data’ (instrumento jurídico para acessar dados pessoais sob posse do poder público ). “Se for preciso, entraremos com um mandado de segurança”, disse.

Rafaela Arruda de Paula, 18 anos, é uma das organizadoras e criadoras de perfis no Twitter e no Instagram que estão reunindo os relatos dos estudantes. “Já temos quatro grupos de WhatsApp. São mais de 900 estudantes reclamando. Por isso, fizemos páginas em redes sociais para amplificar nossa voz”, afirmou. Rafaela, que tenta uma vaga em Ciências Contábeis, disse que viu sua nota cair de 700 para 420. “Temos relatos de muitas notas repetidas, como 420 ou 320. O que nos faz acreditar que pode ter acontecido um erro no sistema”, disse.

O estudante Lucas Rodrigo da Silva Gonçalves, de 22 anos, também está vivendo o drama de desconfiar das notas divulgadas pelo Enem. “Eu terminei o colégio em 2016. Desde então, faço provas do Enem – pois busco uma vaga em Medicina. Nos últimos anos, minhas notas foram 900 e 920 na redação. Desta vez, caiu para 680. Tenho certeza que ela não condiz com a minha redação. O tema era o estigma associado às doenças mentais. Tenho certeza que fiz uma redação adequada ao tema”, disse.

Inep

Até a tarde desta quinta-feira, 1º, o Instituto não havia comentado diretamente sobre as reclamações, mas em suas redes voltou a divulgar informações sobre o processo de correção das provas. O Inep reforçou que “os textos dos participantes do Enem passam por até quatro correções para o cálculo da média final, o que correspondeu, nesta edição, a, aproximadamente, 7 milhões de análises dos textos válidos”, conforme publicou no Twitter.

A reclamação sobre notas repete uma mobilização vista no ano passado. A divulgação dos resultados do Enem 2019, em janeiro de 2020, levantou queixas de erros, que acabou sendo reconhecido pelo órgão. Na oportunidade, o instituto apontou uma falha na gráfica como responsável pela avaliação mal conduzida para cerca de 6 mil candidatos.

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enem 2021 está marcado para 21 e 28 de novembro

Estudantes podem, a partir de hoje (17), solicitar a isenção da taxa de inscrição do Exame Naiconal do Ensino Médio (Enem) 2021. O pedido deve ser feito na Página do Participante até o dia 28 de maio. Quem obteve a isenção no Enem 2020 e não compareceu à prova deve justificar a ausência também pela internet.

Têm direito a não pagar a taxa do exame aqueles que estão cursando a última série do ensino médio no ano de 2021, em qualquer modalidade de ensino, em escola da rede pública; e aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou foram bolsistas integrais na rede privada e têm renda familiar igual ou inferior a um salário mínimo e meio por pessoa.

Poderão pedir a isenção também aqueles estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, que sejam membros de família de baixa renda inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Para isso, devem informar Número de Identificação Social (NIS) único e válido.

Documentação

Na hora do pedido, os participantes devem informar número do CPF, data de nascimento, endereço de e-mail e número de telefone válidos.

Devem ainda enviar documentos que comprovem que se enquadram nos critérios de isenção da taxa de inscrição do exame, tais como: Cédula de Identidade do participante e dos demais membros que compõem o núcleo familiar; cópia do cartão com o NIS válido, no qual está a inscrição no CadÚnico; declaração que comprove a realização de todo o ensino médio em escola pública ou histórico escolar do ensino médio, com assinatura e carimbo da escola. No caso de participante bolsista, deve acrescentar a declaração da escola que comprove a condição de bolsista integral em todo o ensino médio.

Após o prazo de solicitação, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) irá analisar os pedidos. Aqueles que não tiverem o pedido de isenção aceito poderão se inscrever normalmente para o exame, pagando a taxa de inscrição, quando for o momento. A data de inscrição ainda não foi definida.

Justificativa

Os participantes que obtiveram a isenção do exame na edição de 2020 e não puderam comparecer às provas, devem apresentar também uma justificativa para poder pleitear a isenção na edição de 2021. O prazo para que isso seja feito é o mesmo, começa hoje e vai até o dia 28.

Segundo o Inep, os documentos utilizados para comprovar o motivo de ausência devem estar sempre legíveis, datados e assinados. A autarquia diz que não aceitará autodeclarações redigidas pelo solicitante ou por seus pais ou responsáveis.

Entre as justificativas aceitas estão: emergências médicas, comparecimento ao trabalho, morte na família, maternidade ou paternidade, ser vítima de acidente de trânsito, entre outras. Todos os documentos comprobatórios devem estar de acordo com os parâmetros exigidos pelo edital.

Enem 2021

Realizado anualmente, o Enem é o maior exame para ingresso no ensino superior do país, contando com milhões de inscrições em todo o território nacional. As notas do Enem podem ser usadas para participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os períodos de inscrição e a data da realização do Enem 2021 ainda serão divulgadas pelo Inep.

Source link

Prazo para candidatos do Enem 2021 pedir isenção termina nesta sexta-feira

A Comissão Central do Vestibular da Universidade Estadual de Maringá (CVU/ UEM) confirmou para o próximo domingo (23) e segunda-feira (24) a aplicação das provas do Vestibular 2020. Para este concurso, a UEM recebeu 14.272 inscrições, das quais 8.314 são só de Maringá.

Nos dois dias de provas, a entrada dos candidatos aos locais dos exames será permitida no horário das 13h20 às 13h50. O inscrito deverá apresentar o documento de identificação original com foto e em bom estado.

Os inscritos deverão verificar os locais de provas com antecedência no cartão informativo, disponível no  menu do candidato, para evitar dúvidas e aglomerações.

Candidatos com documentos recentemente extraviados, furtados ou roubados, deverão presentar o Boletim de Ocorrência Policial (BO) impresso original, com registro detalhado da ocorrência, expedido há, no máximo, 30 dias. 

Não serão aceitos os seguintes documentos: certidão de nascimento, certidão de casamento e título de eleitor, Carteira Nacional de Habilitação sem foto, carteira de estudante, carteira funcional de natureza pública ou privada, protocolo de requerimento de expedição de qualquer tipo de documento e quaisquer documentos em meio eletrônico.

No primeiro dia do vestibular a prova é composta por questões de Conhecimentos Gerais e Redação. Já no segundo dia, as questões são objetivas e abordam as áreas de conhecimentos específicos, de Língua Portuguesa e Literaturas em Língua Portuguesa e de Língua Estrangeira. 

As provas serão aplicadas em Maringá, Apucarana, Campo Mourão, Curitiba, Cascavel, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Umuarama e Paranavaí.

PROTOCOLO DE BIOSSEGURANÇA 

Para garantir maior segurança dos envolvidos no processo, a UEM adotou diversas medidas de segurança aprovadas pela Secretaria de Estado da Saúde. “Devido ao distanciamento necessário entre os candidatos, a ocupação das salas será de 50%. Diante deste fato, tornou-se necessário a contratação de cerca de 1.800 fiscais que receberam treinamento para aplicar as provas com máxima segurança. Também será disponibilizado álcool 70% em gel nas dependências dos locais de aplicação das provas. O candidato deverá levar sua própria garrafinha de água transparente, pois não será permitido o uso de bebedouros e nem o consumo de alimentos”, explica a presidente da Comissão Central do Vestibular da UEM, Maria Raquel Marçal Natali.

O protocolo ainda prevê a obrigatoriedade da utilização de máscara. Ele deverá portar uma máscara reserva que será trocada após 2 horas de início da prova. Conforme o edital, o candidato também deverá levar sua caneta de tinta cor azul-escuro e de corpo transparente.

DAS VAGAS

O Vestibular 2020 da UEM oferta 2.989 vagas, resultado da soma das vagas do Vestibular de Inverno e do Vestibular de Verão 2020. A distribuição dessas vagas segue da seguinte maneira: 60% para o Sistema Universal (não cotistas); 20% para o Sistema de Cotas Sociais e 20% para o Sistema de Cotas para Negros. Destes, 75% são para Cotas Sociais para Negros e 25% para as demais Cotas para Negros, de acordo com a Resolução n.º 028/2019-CEP.

PLANTÃO CVU

A Comissão do Vestibular estará oferecendo plantão, inclusive no sábado (22), das 8h às 18h, na sede (Bloco 28), para tirar dúvidas dos candidatos, com atendimento também por whatsapp (44) 3011-4450.

Source link